_ACF2810

Diabetes Mellitus

Dia Mundial da Diabetes – 14 de Novembro

O que é a Diabetes Mellitus?

A Diabetes Mellitus é uma doença crónica que resulta da produção ou utilização inadequada da hormona insulina. Esta hormona, produzida pelo pâncreas, é responsável pelo controlo dos níveis de açúcar no sangue, essenciais para a função celular de todos os órgãos. As pessoas portadoras de Diabetes Mellitus, pela utilização inadequada a hormona, podem apresentar alterações dos valores de glicémia (açúcar) no sangue, situação que, se não devidamente controlada, pode conduzir a complicações graves (problemas renais, oftalmológicos e cardíacos, entre outros) 1.

Quais os fatores de risco para vir a ter Diabetes Mellitus?

Devido às alterações no estilo de vida e hábitos alimentares da sociedade, esta doença, que está muito associada ao excesso de peso, à alimentação desequilibrada e ao estilo de vida sedentário, tem vindo a manifestar-se em populações cada vez mais jovens. Em Portugal, segundo dados do último Relatório para o Observatório Nacional da Diabetes, a prevalência da Diabetes na população portuguesa, com idades compreendidas entre os 20 e os 79 anos, foi de 1 milhão de pessoas e sabe-se que mais de um quarto dos portugueses entre os 60-79 anos tem Diabetes 2. Por este motivo, a estratégia nacional de controlo da Diabetes estabelece-se através de três grandes medidas: a prevenção, tratamento e controlo da Diabetes 3.

Diabetes

Pessoas com probabilidade aumentada de desenvolver Diabetes:

Embora qualquer pessoa possa vir a desenvolver Diabetes Mellitus, algumas pessoas têm risco mais elevado de vir a manifestar a doença devendo, por esse motivo, ter um cuidado maior na sua prevenção: pessoas com familiares diretos diabéticos; com excesso de peso e/ou muito sedentárias; pessoas Idosas; mulheres que tenham tido diabetes durante a gravidez e/ou que tenham tido filhos com mais de 4Kg; pessoas com síndrome metabólico (conjunto de problemas que incluem perímetro da cintura aumentado, colesterol elevado, e hipertensão arterial) 4.

Quais os Sintomas associados ao Diagnóstico da Doença?

O aparecimento é habitualmente lento e os sintomas frequentemente associados à deteção da doença são: sede, urinar frequentemente, cansaço, visão turva, por vezes a perda de peso e o aumento de apetite. O diagnóstico efetivo da doença só é possível através de análises sanguíneas detalhadas 5.


[1] Sociedade Portuguesa de Diabetologia – Recomendações Nacionais da SPD para o Tratamento da Hiperglicemia na Diabetes Tipo 2 – Versão Resumidahttp://www.spd.pt/
[2] Observatório da Diabetes – Relatório Anual do Observatório Nacional da Diabeteshttp://www.spd.pt/images/bolsas/dfn2015.pdf
[3] Direção Geral da Saúde – Programa Nacional para a Prevenção e Controlo da Diabeteshttps://www.dgs.pt/programa-nacional-para-a-diabetes.aspx
[4] World Health Organization – Diabetes Fact Sheet – http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs312/en/
[5] Direção Geral da Saúde – Programa Nacional para a Prevenção e Controlo da Diabeteshttps://www.dgs.pt/programa-nacional-para-a-diabetes.aspx